Capacetes de segurança: tipos e utilização

Um dos itens mais comuns dos equipamentos de proteção individual, EPIs, é o capacete de segurança, um equipamento utilizado em praticamente todos os locais onde há risco para o trabalhador. O capacete de segurança tem por finalidade proteger o trabalhador contra impactos de detritos e objetos, gotejamentos, choques elétricos e queimaduras.

Existem basicamente três tipos de capacetes de segurança, divididos em subtipos:

  • Capacete para proteção contra impactos sobre o crânio;
  • Capacete para proteção contra choques elétricos;
  • Capacete para proteção do crânio e face contra agentes térmicos.

Os capacetes de proteção contra impactos sobre o crânio pertencem à classe A, sendo utilizados na construção civil, indústrias, e todo tipo de local e serviço que não tenha a ver com eletricidade. O capacete para proteção contra choques elétricos é usado por profissionais que têm contato com fontes de energia. Já o capacete para proteção do crânio e face contra agentes térmicos é mais utilizado em indústrias químicas.

Os capacetes de segurança podem ter vários itens acoplados, como tira reflexiva, por exemplo. Contudo, são formados basicamente por duas partes: casco e suspensão.

O casco é a parte externa do capacete de segurança, a que forma efetivamente o capacete. Na parte interna, encontramos a suspensão, que evita o contato do capacete com a cabeça do trabalhador e amortece o impacto quando algum objeto atinge a cabeça do mesmo.

Alguns capacetes de segurança possuem ainda a jugular, que são duas correias que prendem o capacete de segurança ao queixo do trabalhador, evitando que ele caia. Este tipo de capacete é muito utilizado em trabalhos com altura, onde a possibilidade de queda do capacete é maior e as chances de que o capacete se torne um objeto perigoso para os demais trabalhadores é muito grande.

Os capacetes de segurança podem ainda ter ou não ventilação, dependendo da atividade que se está executando. Quem define os tipos de capacete a serem usados é o Técnico de Segurança do Trabalho, baseado nas Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho.

A validade de um capacete de segurança é de 5 anos a partir da data de sua fabricação, desde que nunca tenha sido usado. Após o uso, sua validade está condicionada às condições de exposição ao calor, chuva, frio, quedas, etc, podendo ser invalidado a qualquer momento. Havendo rachaduras ou qualquer outro dano aparente no capacete, o trabalhador deve solicitar à empresa a substituição do mesmo, visando manter a qualidade do seu equipamento de proteção individual e evitar acidentes que podem ser fatais.

Manter capacetes de segurança de boa qualidade, certificados pelo Ministério do Trabalho, requer que as empresas tenham um bom fornecedor de equipamentos de proteção individual, como a Casa da Borracha Cotia, que vem prestando serviços de fornecimento de EPIs de qualidade a todo o Brasil.

Últimos Artigos

Processando Ajax Processando